É Mais Fácil Nadar No Mar Ou Na Piscina? Por Quê?

Natação

A natação é, de modo mais técnico e geral, a capacidade que os homens e vários outros animais possuem para se locomover por meio de líquidos, movimentando-se imergidos nos mesmos. Em grande parte das vezes esse tipo de locomoção é feita sem se utilizar itens ou equipamentos, mas isso também é possível. Porém, quando se abre mão dessa definição formal e técnica, é possível resumir a natação como uma atividade que funciona tanto como um exercício físico, quanto como uma forma de lazer, que gera imensos benefícios para todo o corpo, mas que também é uma atividade física que pode ser feita tanto em praias quanto em piscinas.

Os registros iniciais dos quais se tem conhecimento são as pinturas das cavernas de mais de sete mil anos atrás, as chamadas pinturas rupestres. Já sobre os registros encontrados do forma escrita, os primeiros que foram descobertos possuem a data do ano dois mil antes de Cristo, porém, também são encontrados registros em obras famosas e épicas, como é o caso da Ilíada, da Epopeia de Gilgamesh, da Odisseia e até mesmo da Bíblia das religiões cristãs, ou seja, é uma atividade bastante antiga e bastante importante nas mais diversas épocas.

Em todos esses registros que foram apresentados acima, a natação não servia como um meio de competição, mas sim apenas de locomoção e de lazer. As realizações da natação competitivas tiveram inicio somente no ano de 1800, na Europa, com a utilização majoritária do estilo do nado de bruços. Alguns anos depois, em 1873, outras modalidades de nados passaram a ser difundidos, em especial o que foi criado por Arthur Trudgen e que passou a carregar seu próprio sobrenome, ou seja, o Nado Trudgen, que se trata basicamente de uma adaptação pequena de um estilo que já existia, que é o nado crawl – sendo esse último realizado majoritariamente pelos ameríndios, os índios das américas.

Poucos anos depois da instituição da modalidade trudgen de natação, que o esporte passou a de fato compor a lista dos esportes dos Jogos Olímpicos, isso tudo tendo acontecido no ano de 1896 em Atenas. Outro marco importante para esse esporte foi a criação de uma instituição própria, a Federação Internacional de Natação, ou FINA, que no ano de 1908 passou a fazer uma mais correta e severa regulamentação da atividade esportiva. Outra modalidade foi implementada apenas no ano de 1930, que foi o conhecido nado estilo mariposa, que no principio era considerado apenas uma variação do estilo de nado de bruços, mas que no ano de 1952 se tornou um estilo diferente e separado.

Existem seis principais modalidades que são oficialmente regulamentadas atualmente e elas serão apresentadas abaixo, juntamente com alguns pontos relevantes e detalhes significativos sobre as mesmas.

– Natação Pura:

Natação Pura

Natação Pura

Esse é um dos estilos mais simples e básicos da natação, e é também o primeiro que vem a mente quando se pensa nesse tipo de atividade, já que como o próprio nome sugere, é uma atividade mais pura. Essa modalidade acontece majoritariamente em piscinas, e faz a junção dos estilos que já foram brevemente apresentadas acima, que são o nado de costas, o nado mariposa, o nado de bruços e o nado crawl.

– Mergulho:

Mergulho

Mergulho

Nessa modalidade o principal objetivo é realizar a natação estando totalmente submerso, e isso pode ser tanto de forma natural, se deixando a respiração totalmente presa, sendo essa subdivisão chamada de mergulho livre, ou ainda se utilizar algum aparelho ou equipamento que auxilie na manutenção da respiração embaixo d’água, como cilindros de ar, por exemplo.

– Polo Aquático:

Polo Aquático

Polo Aquático

Esse é um esporte que segue a mesma linha e o mesmo estilo do handebol, tendo até mesmo os princípios básicos muito semelhantes. Assim sendo, o principal objetivo dessa atividade é fazer com que as equipes joguem a bola dentro do espaço destinado ao gol da equipe contrária, porém, é claro que tudo acontece embaixo d’água.

Saltos Ornamentais:

Saltos Ornamentais

Saltos Ornamentais

Podendo ainda ter o nome de “saltos para a água”, nessa modalidade da natação os atletas precisam, além de saber nadar, perder o medo e se desafiarem completamente, já que devem realizar saltos de um trampolim muito alto, indo em direção a água. Porém, isso não é suficiente. Durante toda a queda eles precisam realizar uma espécie de coreografia, ou a união de diferentes movimentos.

– Natação Sincronizada:

Natação Sincronizada

Natação Sincronizada

Seguindo o mesmo estilo do salto ornamental, essa também é uma modalidade que agrada muito as pessoas que estão assistindo, já que forma uma imagem bonita. Na natação sincronizada há uma junção da dança com a ginástica artística e / ou rítmica, fazendo movimentos adequados na água com o ritmo de uma música da escolha.

Natação De Águas Abertas:

Natação De Águas Abertas

Natação De Águas Abertas

Com diversas variedades de nome, como por exemplo “natação de alto mar”, “natação de águas livres”, “natação de fundo” ou ainda “natação de longas distâncias”, esse tipo de nado tem como principal característica o fato de com ela serem cruzadas distâncias bastante significativas, sendo que elas acontecem principalmente em lagos, rios e mares – inclusive, o último local citado é o foco do artigo de hoje, já que existe a dúvida de qual local é mais fácil nadar, no mar ou na piscina?

Diferenças Entre Nadar No Mar Ou Em Piscinas

A grande maioria dos nadadores profissionais iniciam sua carreira nadando em piscinas, já que é um dos locais mais comuns, sendo extremamente raro os atletas que começam a nadar em águas abertas, que é o caso do nado em rios, lagos ou mares. E existem sim diferenças técnicas entre o nado na piscina e nesses locais.

Uma boa comparação para a diferença entre a natação em águas abertas e em águas fechadas é o ciclismo em estradas e em velódromos, ou ainda as corridas em mato ou corridas na pista de atletismo. Os ambientes devidamente controlados são muito bons para se trabalhar especificamente vários pontos de um atleta, como a força e a técnica, porém, é no “mundo real” que as coisas acontecem verdadeiramente, e nesse caso existem vários outros fatores que influenciam, como mudanças climáticas, obstáculos, entre outros.

No nado em piscina a maioria dos treinadores indicam que os atletas façam a travessia da piscina com a menor quantidade de braças possível, pois isso faz com que o nado seja mais eficiente. Porém, no mar isso não é possível, já que caso aconteça um alongamento muito grande, é normal que se fique como uma marionete nas ondas e nas correntezas. Assim, resumidamente, no nado no mar é necessário aumentar consideravelmente a frequência das braçadas.

A fase aérea da braçada é chamada de recuperação, porém, em águas abertas não é possível realizar o nado com as mãos muito próximas da água, pois isso faz com que as braçadas fiquem travadas nas ondas ou até mesmo entre em choque com outros atletas. O mais indicado é que se deixe as mãos e os cotovelos elevados no mar, ainda que esse seja considerado um “nado feio”.

Homem Nadando no Mar

Homem Nadando no Mar

Nos ambientes controlados sempre se indica realizar a respiração bilateral, que é onde se realiza de lado, com a maior parte do rosto possível dentro da água, olhar de lado e movimentação baixa do restante do corpo. Porém, nas águas abertas é necessário que o atleta mexa mais com o seu corpo e até mesmo que gire o rosto um pouco para trás, como se fosse observar acima do ombro, tudo para evitar o fato de engolir água ao se respirar.

Devido a todos esses detalhes e possível comprovar que o nado no mar é bem mais difícil e desafiador, e na piscina pode ser um pouco mais tranquilo.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Curiosidades

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.