Batalha de Zama

Uma guerra que não teria acontecido se as tentativas de acordo de paz tivessem dado certo.

Uma grande batalha entre Cartago e Roma que aconteceu no ano de 202 a.C.foi o que determinou o término de uma guerra entre esses povos: os cartagineses e os romanos. Ela colocou um ponto final na segunda guerra púnica. Essa batalha ficou conhecida na história como nome de Batalha de Zama. Isso porque ela foi travada em um local de nome Zama, uma localidade que ficava ao sul, próxima a cidade de Cartago e ao norte da África.

A Batalha de Zama aconteceu no dia 19 do mês de outubro do ano citado acima. Nela também ocorreu que se visse o desenrolar de táticas e de estratégias de guerra de dois grandes estrategistas militares. Esses dois eram os líderes das duas cidades que estavam em guerra. Um era de Cartago e o outro era de Roma. Eram eles: Aníbal Barca e Cipião, o Africano.

Estratégia Usada por Aníbal Barca

Aníbal Barca saiu para percorrer a Península Ibérica com seus soldados, durante o tempo em que estava acontecendo a Segunda Guerra Púnica. Mesmo estando em guerra, ele após ter atravessado a Península Ibérica conseguiu passar pelos Alpes que ficam ao norte da Itália. Para conseguir esse intento, porém aconteceu a morte de muitos de seus homens. Aníbal, então como precisava de outros homens para colocar no lugar daqueles que havia perdido, tratou de resolver essa questão ainda pelo caminho.

Aníbal Barca acabou por conseguir com que milhares de gauleses mercenários se juntassem ao seu exército para lutar ao lado dos seus soldados, para que ele pudesse dessa forma compensar as perdas, que foram muitas, dos soldados. Todas essas perdas ocorreram na cadeia de montanhas da Europa por conta da travessia.

Aníbal Barca Tinha um Objetivo

Aníbal Barca tinha em mente um objetivo, que era a conquista e o apoio do povo de várias cidades na ação que estava planejando contra Roma. Ele tinha em mente que se o povo das tais cidades apoiassem o que ele pretendia fazer talvez até o ajudassem nas batalhas que teria que travar.

A Diplomacia não deu Certo

Em início, Aníbal tentou resolver a situação com as cidades romanas através de ações diplomáticas que envolveram algumas cidades localizadas na Península Itálica. Contudo mesmo usando de toda a diplomacia e estratégia militar, ele não conseguiu realizar a invasão da cidade, porque foi impossível conseguir a derrota completa, dos soldados das tropas de Roma.

Recuo Estratégico

Apesar de o exercito romano ser considerado forte, poderoso, até então invencível, bem que Aníbal Barca tinha tido importantes batalhas vencidas contra ele. Entretanto os romanos também eram excelentes estrategistas e ao contrário do que pensavam os cartagineses não estavam vencidos. Comandados por Cipião, os romanos não ficaram gastando forças lutando em terras européias. Eles partiram para atacar os cartagineses em sua própria cidade, Cartago.

O Retorno de Aníbal Barca

Depois da estratégia usada por Cipião, Aníbal comandando suas tropas retornaram para o norte africano. Quando chegaram na cidade de Zama Aníbal Barca e suas tropas montaram acampamento e ali ficaram aguardando para começar a batalha tão logo Cipião e seus soldados chegassem. Por mais uma vez houve uma tentativa entre os dois militares , Aníbal e Cipião para que tudo ficasse resolvido com um acordo diplomático, contudo, não houve acordo. A tentativa não teve êxito.

O Exército de Aníbal Barca… Mercenários e Elefantes

Além de seus soldados que juntos formavam as suas tropas de forma regular, Aníbal havia recrutado vários mercenários. Entre eles estavam mercenários: hispânicos, gauleses e lígures. E ainda por cima contava com a presença de animais de grande porte nas tropas. Isso mesmo, Aníbal possuía inúmeros elefantes. Lógico que em se tratando de força de ataque os elefantes faziam uma enorme diferença e Aníbal contava com isso. Ele contava com esse diferencial contra os soldados romanos.

Aníbal tinha planejado usar os elefantes na linha de frente para que eles causassem muitas baixas nas tropas do exército dos romanos e fizessem o maior número de estragos que fosse possível. A estratégia de Aníbal era depois que Os elefantes já tivessem destruído metade do exército romano, ele entraria comandando suas tropas de soldados mercenários e aproveitando o espaço deixado pelos elefantes, acabariam com os soldados de Roma formado por tropas regulares e comandados por Cipião.

A Estratégia de Cipião

Aníbal Barca estava tão seguro do êxito do plano que havia traçado que nem ao menos pensou na possibilidade de que Cipião pudesse ter planejado um contra-ataque. E foi exatamente isso que aconteceu. O general de Roma, o grande estrategista Cipião, tinha posicionado inúmeros lanceiros armados e feito várias armadilhas de terra para dar cabo dos elefantes.

Se a estratégia maior de Aníbal era com o uso da força dos  elefantes para abrir caminho entre os soldados, massacrando-os, a estratégia de Cipião era minar com a estratégia do exército adversário, começando por acabar com a arma que ele tinha. E isso não era tão difícil assim. Por isso, é que assim que tomou conhecimento de como seriam usados os elefantes, Cipião desenvolveu junto com as suas tropas o seu plano. E deu certo.

Elefantes e Mercenários não Tiveram Êxito

Os elefantes que o exército de Aníbal trazia foram tirados do combate. E após, com o enfraquecimento do exército de Cartago com seus elefantes e mercenários, comandado por Aníbal Barca, Cipião invadiu a linha de frente inimiga comandando a infantaria de Roma. Primeiro venceu os elefantes, depois deles os mercenários e a seguir as tropas regulares formadas por soldados e comandadas por Aníbal.

Final da Batalha de Zama

Depois dessa batalha que ficou conhecida na história como a Batalha de Zama os cartagineses foram vencidos pelos romanos e com isso a Segunda Guerra Púnica chegou ao fim. O título de Africano que foi dado à Cipião foi pela vitória conseguida. Por isso, na história ele ficou com o título acoplado ao nome. Cipião Africano. Porém, Roma só conseguiu exterminar Cartago realmente, em mais uma guerra travada contra ela. Essa última ocorreu (no ano de 146 a.C.) quando a terceira e derradeira Guerra Púnica foi vencida por Roma.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Cultura

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário