Mesopotâmia

Nome referente para a área do sistema do rio Tigre-Eufrates, correspondente ao moderno Iraque, região nordeste de Síria e em menor medida no sudeste da Turquia, nas partes menores do sudoeste iraniano.

Imagem de Amostra do You Tube

Berço da Civilização

Considerada o berço da civilização do Ocidente, da Idade do Bronze, Mesopotâmia, Babilônia e Assíria, todas nativas do território do atual Iraque. Na Idade do Ferro foi controlado por impérios neobabilônicos.

Os sumérios e indígenas acádios (incluindo assírios e babilônios) dominaram a região desde o início da história escrita (3100 AC) até a queda de Babilônia no ano 539 AC, conquistada pelo império de Aquemênida. Dominada por Alexandre, o Grande, em 332 AC Após sua morte se tornou parte do grego império selêucida.

Mesopotâmia se tornou campo de batalha entre romanos e persas. Em 226 o poder de Roma caiu e o local permaneceu sob o domínio persa até o século VII, quando caíram para a conquista islâmica do Império Sassânida.

Mesopotâmia: Ontem e Hoje

A história da antiga Mesopotâmia começa com o surgimento de sociedades urbanas durante o período Ubaid (5300 AC). A memória do Antigo Oriente começa no período Paleolítico Inferior e termina com a chegada do Império Aquemênida, conquista islâmica da Mesopotâmia e estabelecimento do Califado, ponto a partir do qual a região passou a ser conhecida como Iraque.

Mesopotâmia abrigou alguns dos mais antigos estados desenvolvidos e complexos do mundo. A região foi uma das quatro civilizações ribeirinhas onde se inventou a escrita, junto com o valo de Nilo no Egito, o vale do Indo no subcontinente indiano e vale do rio Amarelo, na China.

Mesopotâmia abrigou cidades importantes no campo histórico, tais como Uruk, Nippur, Nínive, Assíria e Babilônia. Alguns dos mais importantes líderes históricos da Mesopotâmia foram Ur-Nammu (rei de Ur), Sargon (que estabeleceu o Império acadiano), Hammurabi (antigo estado da Babilônia), Ashur-Uballit II e Tiglate-Pileser I (Empires).

Linguagem da Civilização Mesopotâmica

A primeira linguagem escrita na Mesopotâmia foi o sumério junto com dialetos  semitas. Acadiano veio a ser a língua dominante durante o Império Acadiano e Assírio. A linguagem foi mantida para a administração, atos religiosos, propósitos literários e científicos.

Diferentes variedades de acadiano foram usadas até o final do período. Aramaico neobabilônico se tornou comum na Mesopotâmia. Em seguida virou a língua oficial da administração provincial do império Assírio. Acadiano caiu em desuso. Os últimos textos datam ao final do primeiro século depois de Cristo.

No início da história da Mesopotâmia (cerca de meados do quarto milênio AC), a escrita cuneiforme foi inventada, ou seja, aquela “em forma de cunha” devido à ponta triangular da “caneta”, usada para impressionar os sinais na argila molhada. O formulário padronizado de cada signo cuneiforme parece ter sido desenvolvido a partir de pictogramas.

O início do sistema logográfico de escrita cuneiforme levou anos para ser dominado. Assim, apenas um número limitado de indivíduos foi contratado como escribas treinados ao uso. Arquivos enormes de textos foram recuperados aos contextos arqueológicos de antigas escolas de escribas babilônicos, através do qual a alfabetização foi disseminada.

Durante o terceiro milênio AC se desenvolveu uma simbiose cultural íntima entre os sumérios e os acádios, que incluiu generalizado bilinguismo. A influência da Suméria no acadiano (e vice-versa) é evidente em todas as áreas, a partir de empréstimo lexical à escala maciça, a convergência sintática, morfológica e fonológica.

Literatura

Bibliotecas estavam presentes nas cidades e templos durante o Império Babilônico. Um velho provérbio sumério declara: “Aquele que se sobressair na escola de escribas deve subir com a aurora”. As mulheres assim como os homens aprenderam a ler e escrever. Para os semitas babilônios este conhecimento envolvido da língua suméria extinto e um silabário complicado e extenso.

Uma quantidade considerável de literatura babilônica foi traduzida a partir de originais sumérios. A linguagem da religião e lei continuou a ser língua aglutinante antiga da Suméria. Vocabulários, gramáticas e traduções interlineares foram compilados para o uso dos alunos, bem como comentários sobre os textos mais antigos e explicações de palavras e frases obscuras. Os personagens do silabário foram todos organizados e nomeados.

Certas obras literárias babilônicas ainda são estudadas na atualidade. Um dos mais famosos deles foi o Épico de Gilgamesh, em doze livros traduzidos do sumério original e organizados mediante ao princípio astronômico. Cada divisão contém a história de uma aventura única na carreira de Gilgamesh. O trabalho é um produto composto, embora seja provável que algumas das histórias estejam ligadas à figura central.

Ciência e Tecnologia

Matemática mesopotâmica foi baseada em um sistema numeral sexagesimal (base 60). Esta é a fonte de uma hora de 60 minutos, o dia de 24 horas e o grau do círculo em 360. O calendário sumério se baseou na semana de sete dias. Esta forma de matemática foi fundamental no início de mapa de decisões.

Os babilônios também tiveram teoremas sobre a maneira de medir a área de várias formas sólidas. Mediram a circunferência de um círculo como três vezes o diâmetro e a área em um doze avos do quadrado da circunferência.

Os volumes de um cilindro foram feitos como o produto da área da base e a altura. No entanto, volume do tronco de um cone ou de uma pirâmide quadrada foi feita de forma incorreta como o produto da altura e metade da soma das bases.

Astronomia: Civilização Mesopotâmica

Os astrônomos babilônios foram hábeis em matemática e poderiam prever eclipses e solstícios. Estudiosos pensavam que tudo tinha algum propósito na astronomia. A maioria deles relacionada com a religião e presságios.

Astrônomos da Mesopotâmia elaboraram um calendário de doze meses com base nos ciclos da lua. Eles dividiram o ano em duas estações: Verão e inverno. As origens da astronomia, bem como astrologia, datam a partir deste momento.

Durante os séculos VIII e VII AC os astrônomos babilônios desenvolveram nova abordagem para a astronomia. Eles começaram a estudar filosofia e a lidar com a natureza ideal do início do universo. Foram pioneiros ao empregar uma lógica interna nos sistemas planetários preditivos.

Esta foi uma contribuição importante para a astronomia e a filosofia da ciência. Alguns estudiosos fazem referência à nova abordagem como a primeira revolução científica.

A Mesopotâmia, hoje Iraque, é atualmente como sempre foi uma região de grande importância histórica para o mundo e palco de acontecimentos da cultura religiosa e mitos da civilização. Sua história contempla curiosidades que fazem dessa região uma das mais ricas do planeta. O local atualmente vive conflitos difíceis de serem levados a cabo, mas curiosamente foi na Mesopotâmia, hoje território geográfico do Iraque que Deus criou os pais da humanidade, pois segundo a Bíblia a região entre os rios Eufrates e Tigre foi a primeira a ser habitada pelo homem. Foi da Mesopotâmia que os filhos de Adão partiram para povoar a terra; a Arca de Noé foi construída e também a Torre de Babel, hoje é o Iraque (coincidência?). A Babilônia foi a responsável pela destruição da cidade santa de Jerusalém.

Mesopotâmia

Mesopotâmia

A Mesopotâmia foi o berço de diferentes civilizações ao longo de toda a história da antiguidade, quando acádios, assírios e sumérios povoavam a região nos períodos de vazante, quando foram travadas guerras e houve uma troca de valores e costumes muito intensa entre esses povos. Na Mesopotâmia foram construídas importantes cidades, com o que poderíamos chamar hoje, de um avanço tecnologico para a época, com autonomia de religião e política, desenvolveram técnicas de agricultura, códigos jurídicos avançados e amplos, conhecimentos matemáticos, escolas, uma rede de comércio importante e muitas táticas de guerra.

Egito

Egito

Foi na Mesopotânia que por volta de 1.900 a.C. teve origem o império da Babilônia, tão rico quanto avançado em sua cultura, e sua legislação, sendo desta data o primeiro código de leis de importancia política que se tem notícias, contendo 280 artigos que tratam de diversos assuntos e estabelecem critérios e penas de acordo com os costumes e valores da época, um deles é a hierarquia e prestígio social. Podemos ver que bem pouca coisa mudou até os dias de hoje….Cerca de 600 anos depois foi a derrocada do Império babilônico, e os assírios passam a dominar, depois é a vez dos caldeus e assim a Mesopotâmia passou sua história, uma alternância entre conquistas, guerras, e destruição.

Povos da Mesopotâmia

Povos da Mesopotâmia

Hoje, quando o mundo inteiro observa o que acontece no Oriente Médio, com guerras e guerrilhas em disputa pelo território, pelo petróleo e pelo fanatismo religioso, podemos perceber que a história continua a se repetir durante centenas de séculos, a luta pelo poder. Sob essas terras está enterrado parte importante do patrimônio histórico de toda a humanidade, com objetos e textos cruciais para questões e duvidas que acompanham a evolução da humanidade. O texto bíblico só poderá ser plenamente entendido quando a história da Mesopotâmia for reconhecida.
O Iraque quer aumentar vendas de petróleo, visto que é o país contemporâneo é a 3ª maior reserva de petróleo do mundo e entre outras tantas discrepâncias é um país com bom nível de desenvolvimento tecnológico. A outra fonte de renda do país é a agricultura. Um país com uma história rica de mística e uma cultura única.

Escrito por Renato Duarte Plantier

54 comentários

  1. e muito firme isso ai gosteiiiiiiiii

  2. cara eu to estudando isso e garanto que estudar meu lkivro é bem melhor do que este site idiota que nao ajuda em nada eu sei muito mais do que este site ta falando

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>