A Antiga Babilônia

O império babilônico originou-se do antigo império Sumério, que ocupou o que hoje é o sul do Iraque. O império era formado por cerca de doze cidades estado e seu nome vem da capital, Babilônia. Originalmente uma região desorganizada, tornou-se um centro de cultura, comércio e religião sob o comando de Hammurabi em 1728 a.C. Localização de um das sete maravilhas do mundo antigo – Os jardins suspensos da babilônia – o império foi um dos maiores do mundo antigo.

Leis Babilônicas

A Antiga Babilônia

A Antiga Babilônia

Hammurabi foi o primeiro soberano da Babilônia unificada e também seu maior criador de leis. O Código de Hammurabi regulava a vida no império de tal forma que tornava as conseqüências de quaisquer atos criminosos publicamente conhecidas. Os cidadãos podiam então estruturas suas vidas de acordo com o código, promovendo uma sociedade organizada. Tão eficiente era o código babilônico que em 1,200 anos nunca foi alterado em sua totalidade, e as cidades até mesmo do mediterrâneo imitaram-no por séculos.

Tecnologia babilônica

Mudanças

Mudanças

Apesar de várias mudanças de regência, a educação alcançou níveis excepcionais entre os babilônios. Avanços técnicos, como a criação de um sistema matemático sexagesimal, são usados até hoje: Sessenta segundos por minuto, sessenta minutos por hora. O tempo moderno é definido pela matemática babilônica.

Muito semelhante ao império Sumério que o sucedeu, o Babilônico também era fanático por criação de registros escritos. Iniciando-se com Hammurabi e continuando até a dissolução do império nas mãos de Ciro e os grandes imperadores da Pérsia, toda transação financeira, veredito da corte, contrato e quase tudo que podia ser escrito, o foi – em tábuas de argila.

Com leis que se aplicavam a quase todo aspecto até da vida diária, isso significa que uma grande quantidade de informação foi registrada e muita dela foi recuperada em escavações modernas. Pesquisadores encontraram também dispositivos óticos semelhantes a lentes de aumento, que eram usados para permitir aos responsáveis pelos registros escrever em caracteres cuneiformes menores, aproveitando melhor o espaço das tábuas.

A astronomia também foi uma ciência amplamente desenvolvida no império, que foi a primeira civilização a ter uma teoria científica funcional sobre os planetas. Vênus, Mercúrio, Marte, Júpiter e Saturno já haviam sido identificados por seus astrólogos.

Religião

História

História

Na Babilônia antiga eram cultuados diversos deuses:

An ou Anu – Deus dos céus e esferas celestiais

Enlil – Deus do ar e das tempestades

Enki – Deus da água e da fertilidade da terra.

Ki – Deusa mãe que representava o planeta

Ashur – Principal deus da Assíria, deus dos céus

Ninlil ou Nillina – Deusa do ar, esposa de Enlil

Inanna – Deusa do amor e da guerra

Ea – Deus da sabedoria

Marduk – Deus maior da Babilônia, deus da luz e filho de Ea. Responsável por enviar os reis da Babilônia.

Nanna – Deus da lua

Utu ou Shamash – Deus do sol e da justiça

Ninurta – Deusa do sol

Legado

A babilônia teve um papel importante no desenvolvimento das sociedades organizadas, da ciência e principalmente dos sistemas legais. A babilônia é ainda citada na bíblia cristã e também no judaísmo e islamismo, como um ícone de poder excessivo e arrogância. A famosa Torre de Babel, construída na Babilônia também é ponto central de uma famosa história bíblica.

Um comentário

  1. muito bom o artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>