Membrana Plasmática

Como e Para Que Ela Serve

Ao nos compararmos com o menor microorganismo do nosso corpo, se fôssemos uma célula, a nossa membrana seria a nossa pele. Na composição celular, a membrana é a camada que encobre o plasma, envolvendo em uma textura porosa, capaz de absorver água e oxigênio. Essa “pele” da célula é a responsável por separar o citoplasma dos outros elementos, enfim, responsável pela própria existência da célula. Afinal, de uma percepção mais ampla, a principal função de um envoltório, de uma “embalagem” é definir a existência do elemento em questão. Assim como uma fruta tem sua casca, nós temos nosso tecido cutâneo. E a célula tem a membrana. Simples assim.

Membrana Plasmática

Como Se Forma

Pois bem, mas para compreender de forma mais elementar como funciona e para que serve a membrana plasmática, é necessário compreender a função de cada substância que a compõe. Uma dessas substâncias cruciais é o lipídeo que, como o óleo, contribuem para sua função de separar a célula do seu meio. Surgem em bicamadas e são denominados fosfolipídeos. Além disso, há determinada presença de proteínas e açúcares, definindo sua composição como basicamente lipoprotéica. E como citamos anteriormente, a membrana é porosa, ou seja, permite a entrada e a saída de algumas substâncias.

Transporte Celular

Essa absorção não ocorrem sem a incidência prévia de uma espécie de filtro. Em outras palavras, a membrana é relativamente seletiva na sua função de permeabilidade. Uma das responsáveis por essa seleção sutil de elementos é a camada fosfolipídica, que só permite a entrada de substâncias menores que os seus “poros”. Os lipídeos, por sua composição oleosa, tem também uma função importante nesse processo: só deixa entrar quem se mistura com ele. Mas e as substâncias que não combinam com os fosfolipídeos? Ainda há outro caminho: as proteínas – chamadas janelas da célula.

Célula

O Que Passa e o Que Não Passa Pela Membrana Plasmática

Mas para compreender exatamente como funciona essa troca de substâncias através das membranas, basta recorrer aos livros de escola. Para que uma molécula se mova, é necessário que outra abra espaço, e assim a troca vai ocorrendo por todo o meio, com moléculas substituindo o lugar umas das outras. Existem, assim, dois tipos de transporte:

Célula Animal

- Transporte Passivo: realizado sem gasto de energia, através do processo de osmose.

- Transporte Ativo: como um movimento forçado de entrada ou saída, dispensando certa quantidade de energia para realizar o trajeto.

Célula Vegetal

Porém, tudo isso foi abordado considerando a transição de partículas menores através da membrana. O que ocorre é que a membrana plasmática também consegue englobar substâncias grandes: é a chamada endocitose. Processo que envolve dois tipos de movimento: o englobamento de partículas líquidas ou sólidas. Assim, dentro dos seus critérios de seleção natural, através da membrana plasmática podem transpassar substâncias como oxigênio, uréia, água, vitamina C, glicose, sais minerais, aminoácidos, gás carbônico, ácido láctico, ácido salicílico e pequenas proteínas.

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>