Bicicleta Dois Lugares

A bicicleta é um dos meios de transporte mais usados no mundo e se você faz o tipo que gosta de passar mais tempo com as pessoas que ama já deve ter cogitado ter uma bicicleta de dois lugares. Basicamente essas bicicletas contam com dois lugares para que seja possível que duas pessoas pedalem e se desloquem com a mesma.

Basicamente a bicicleta de dois lugares é uma versão alongada da bicicleta normal e que oferece as duas pessoas a possibilidade de pedalar para que seja feita a locomoção. A seguir vamos falar um pouco mais da bicicleta, contar a sua história e te mostrar que pode ser um programa e tanto pedalar por aí com as pessoas queridas.

Curiosidades Sobre Bicicletas

A origem das bicicletas é algo que suscita muitas dúvidas pelo fato de que existem muitas teorias e linhas de pesquisa de que maneira ela teria surgido. Acreditava-se que a bicicleta havia sido desenhada por Leonardo da Vinci devido a um esboço que foi atribuído a ele. No entanto, se descobriu ser mentira, um monge, o autor do desenho, cometeu uma fraude.

A História da Bicicleta

A humanidade desde sempre procurou centrar a sua locomoção em veículos sobre rodas. Podemos observar isso quando pensamos em carroças, carrinhos de mão, carruagens entre outros que foram criados antes da bicicleta que conhecemos hoje em dia. Uma coisa interessante é que os pesquisadores acreditam que as bicicletas já eram usadas como brinquedos muito antes do surgimento da bicicleta de Conde de Sivrac.

Isso se baseia em desenhos que mostram pinturas que eram feitas em vasos e relevos como forma de registro. Através do Conde de Sivrac a bicicleta começa a ser divulgada de maneira que fica famosa.

A Bicicleta Antes de 1800

Os documentos mostram que os veículos de propulsão humana apareceram somente depois da Renascença. Grande parte deles eram pequenas e tinham três e quatro rodas. Foi no ano de 1680 que o alemão Stephan Farffler, que era paraplégico e construtor de relógios, inventou uma cadeira de rodas com três rodas. Depois ele fez outra com quatro rodas.

Essas cadeiras de rodas eram movidas através de um sistema de propulsão por meio de uma alavanca manual. Existem outras referências de veículos que usavam propulsão humana até 1800. Todos esses veículos eram construídos na forma de carruagem.

Veículos de Duas Rodas

O Brinquedo do Conde de Sivrac

É considerado como o marco do início da história da bicicleta a criação de um tipo de brinquedo que era chamado de “celerífero” e que foi elaborado pelo Conde de Sivrac. O veículo foi construído em madeira e tinha duas rodas que foram alinhadas de maneira a ficar uma atrás da outra. A ligação das rodas era feita por uma viga em que era possível sentar.

Essa máquina contava com um sistema de direção em que existia uma única barra transversal e fixa em que era possível colocar as mãos. Em suma a brincadeira era empurrar ou então fazer com que o veículo corresse através de uma descida até conseguir velocidade. O usuário do celerífero tinha que se manter equilibrado em cima do mesmo.

Equilíbrio – A Contribuição do Barão de von Drais

Tido como inventor oficial da bicicleta o Barão Karl von Drais era engenheiro agrônomo e florestal. A contribuição dele foi a de acrescentar aos celefífero um sistema de direção que o tornava mais equilibrado para fazer curvas e assim então permitir o seu movimento. Outra contribuição feita por ele foi um sistema de freio que embora fosse rudimentar foi de grande ajuda para facilitar o uso do celerífero por pessoas um pouco mais pesadas.

Selim da Draisiana

Conhecida como draisiana, a bicicleta do Barão Karl von Drais, tinha um selim que lembrava a sela de cavalo. Com esse aparato se tornou possível apoiar os pés no chão de maneira a direcionar o celerífero para a direção que se tivesse vontade com muito mais conforto e também com mais segurança.

O movimento necessário era bastante simples e tudo o que o condutor precisava fazer era sentar no selim da draisiana e apoiar os seus pés no chão. Ao fazer isso bastava sair por aí a qualquer velocidade com a bicicleta que ainda era chamada assim. Para manter a velocidade e o equilíbrio bastava levantar os pés.

Patente

No dia 12 de janeiro de 1818 o Barão Karl von Drais fez o registro de patente da sua invenção em cidades como Baden, Paris entre outras. O barão começou a viajar por toda a Europa em busca de fazer contatos para conseguir vender o seu produto. Porém, o barão não era um bom vendedor e assim acabou falido e a sua invenção menosprezada.

Novos Modelos

O barão havia feito a patente da sua draisiana, no entanto, outros modelos foram criados e depois de algum tempo já estavam sendo fabricadas e oferecendo mais funcionalidade. Surgiram alguns projetos que tinham sistema de suspensão no selim ou então nas rodas.  Empresários com mais talento que o barão para vender a criação apareceram e conseguiram tornar a bicicleta algo comercial.

Pedais

Desde que as draisianas começaram a chegar as ruas se pensava em criar um sistema de propulsão que não precisasse ser feito com o andar do condutor. Foi em 1839 que a primeira draisiana foi adaptada pelo trabalho do ferreiro escocês Kirkpatrick Macmillan. O ferreiro usou como base o projeto de Drais, mas fez um novo desenho da viga central que unia as duas rodas.

Foi adaptado então um sistema de propulsão por pedais que eram ligados através de um virabrequim que ficava no eixo da roda de trás por alavancas. Não precisamos nem dizer que esse modelo se popularizou como a nossa bicicleta, não é mesmo? Para quem deseja fazer um programa em família a dica é usar uma bicicleta com dois lugares.

Ao fazer isso você pode dar um dos lugares para que alguém pedale com você, em geral quem fica no banco da frente tem mais responsabilidade de pedalar. Então pense bem em quem ficará no banco da frente e bom passeio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>