Surfistas Brasileiros que Fazem Sucesso

O Brasil é um dos países mais abençoados no que diz respeito a praias e bons locais para a prática do surfe. Como não poderia deixar de ser nosso país tem muitos surfistas que se destacam por seu talento mundo afora. A seguir listamos alguns dos principais surfistas brasileiros do momento, esportistas para ficar de olho, pois podem ser o futuro do esporte.

Muitos jovens tem o sonho de se tornar surfistas profissionais, para alcançar seus objetivos é necessário muito treino e dedicação.

Surfistas Brasileiros de Sucesso

Gabriel Medina de São Sebastião, São Paulo

Atualmente Gabriel Medina é o principal nome brasileiro do surfe e ganhou até uma série no canal a cabo Off que se chama “Mundo Medina”. Quando tinha apenas 15 anos o surfista se tornou o mais jovem do mundo a ganhar uma etapa do WQS (World Qualifying Series).

Em 2009 o esportista solidificou ainda mais a sua carreira e se tornou garoto-propaganda de uma das principais marcas desse segmento, a Rip Curl. Após se profissionalizar Medina realizou um sonho para muitos surfistas, venceu Kelly Slater que já havia sido 11 vezes campeão do mundo.

Yan Daberkow de Joinville, Santa Catarina.

Apesar do nome meio esquisito, Yan Daberkow, é brasileiro da cidade de Joinville em Santa Catarina. O seu amor pelo surfe começou muito cedo e com apenas 5 anos de idade ele entrou para uma escolhinha e aos 7 ganhou o seu primeiro campeonato. O atleta é campeão mundial King of the Groms (esse é o maior campeonato para atletas iniciantes) e tem o patrocínio da marca Billabong. Atualmente o surfista compete em provas Pro Junior e tem como principal desejo participar do World Tour.

Alejo Muniz de Bombinhas, Santa Catarina.

Apesar de ter nascido na Argentina, Alejo Muniz foi criado no Brasil desde os dois anos de idade. Surfista integrante da exclusiva divisão do World Tour (WT) foi o primeiro do seu esporte a ter uma parceria com um clube de futebol, o Santos FC. As outras paixões de Alejo são a leitura e jogar tênis.

Lapinho Coutinho da Bahia

O nome já entrega, pelo menos para quem é fã do esporte, que Lapinho tem a quem puxar. O surfista baiano é filho do lendário Lapo Coutinho e tem como principal destaque a sua paixão por pegar ondas gigantes, ele já chegou a 30 pés havaianos. A fama chegou para Lapinha no ano de 2011 quando ele mostrou toda a sua capacidade no Havaí. Atualmente, é um dos principais surfistas da geração de big riders, ou seja, aqueles que pegam ondas gigantes.

Herbert Moreno de São Paulo

Com apenas 4 anos de idade Herbert Moreno descobriu o seu amor pelo surfe na praia do Guarujá e com 8 anos já estava disputando campeonatos. Aos 15 ele já participava de campeonatos no Havaí e foi então que passou a fazer parte da equipe Júnior Rip Curl. A maior inspiração para Moreno é Gabriel Medina e o seu sonho é ser um dos melhores em tubos e ondas grandes.

Raoni Monteiro de São Paulo

O surfista Raoni Monteiro de São Paulo mostrou a que veio quando teve uma vitória incrível no WQS 6 estrelas do Japão e se tornou um participante do WCT 2004. Para chegar a sua tão desejada vaga para disputar o prêmio de melhor do mundo foi necessário construir uma carreira brilhante cheia de vitórias. Um dos destaques da carreira de Raoni foi o 5º lugar no Rip Curl em Hossegos e depois a vitória em Irago Beach no Japão.

Heitor Alves – Ceará

O surfista cearense Heitor Alves tinha como grande sonho da sua carreira surfar junto aos maiores surfistas da atualidade. No ano de 2005 ele venceu o WQS da Praia Mole e recebeu um convite para participar da etapa brasileira do WCT. Muitos chamam o surfista de forma pejorativa de “maroleiro”, mas ele sempre diz que não se importa com isso.

Heitor nasceu em Fortaleza, mas se mudou para o Rio de Janeiro para que pudesse ter mais oportunidades na carreira. Parte do seu sonho foi realizado quando ele venceu a etapa das Ilhas Maldivas. Foi então que Heitor percebeu uma das principais dificuldades seria a língua inglesa e nem tanto as ondas, mas para vencer essa dificuldade ele pode contar com os seus amigos surfistas.

Maya Gabeira do Rio de Janeiro

A surfista Maya Gabeira é a prova de que as mulheres brasileiras também brilham nesse esporte. Profissional da categoria big rider já ganhou muitos troféus em todo o mundo, o pai de Maya é o deputado federal Fernando Gabeira. A carreira na surfe começou cedo, com apenas 14 anos de idade ela se matriculou na escolinha na Praia do Arpoador no Rio de Janeiro e um ano depois já estava competindo.

Quando tinha 17 anos a esportista foi morar na Austrália e começou a praticar o surfe de ondas grandes, foi quando decidiu que essa seria a sua modalidade. Foi vencedora quatro vezes consecutivas nos anos de 2007, 2008, 2009 e 2010 do Billabong XXL Global Big Wave Awards na categoria Melhor Performance Feminina. No ano de 2008 se tornou a primeira mulher a ter surfado no Mar do Alasca.

Os Acidentes de Maya Gabeira

Um dos momentos mais difíceis da carreira de Maya se deu em agosto de 2011 quando ela sofreu um grave acidente na bancada de Teahupoo, no Tahiti. Quando fazia uma manobra a surfista foi atingida por várias ondas e precisou ser resgatada por uma equipe de apoio. Após esse susto Maya começou a treinar apneia estática na piscina e também mergulho livre no mar alcançando a marca incrível de quatro minutos embaixo da água.

Depois do susto de 2011 Maya ainda passaria por mais um grave acidente durante a prática de surfe. No mês de outubro de 2013 a surfista estava tentando bater seu recorde de maior onda surfada em Nazaré em Portugal e acabou caindo. Quando foi resgatada por Carlos Burle de jet ski ela estava inconsciente e precisou ser levada pra a Praia do Norte para ser reanimada pelos socorristas. Depois disso Maya foi encaminhada para o Hospital de Leiria e teve apenas um tornozelo quebrado.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Individual

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário