Doenças Ligadas à Tecnologia e Internet

  1. Problemas de Visão: Pessoas que passam horas na frente do computador (no trabalho ou lazer) são propensas a astenopia.  Alguns monitores afetam mais do que outros. Porém, no final, todas as telas afetam no final. É apenas uma questão de tempo! Faça pausas e não trabalhe no escuro.
  2. Astenopia: A doença se manifesta por sintomas como vermelhidão dos olhos, secura e sensação de queimação, visão turva ou dupla.
  3. Surdez: Tornou-se um hábito ouvir música em fones de ouvido com volume alto para cobrir todos os ruídos circundantes. Após vários anos de tal tratamento, a audição vai começar a perder das capacidades.
  4. Trombose Doença ocorre em pessoas que estão sentadas mais de 8 horas por dia. De modo básico diminui o fluxo de sangue para as pernas. A doença se manifesta com o coágulo nas veias das pernas.
  5. Ortorexia: Obsessão por comida saudável! O último bombardeio de avisos sobre os produtos químicos perigosos encontrados nos alimentos fez as pessoas ficarem obcecadas com alimentos saudáveis e amigáveis.

Assim, número crescente de pessoas surge para compilar as próprias dietas restritivas e, de fato, fazer mais mal do que bem de modo físico. Os clínicos gerais e psiquiatras de todo o mundo alertam que ortorexia está prestes a expandir de forma perigosa.

Doenças Ligadas à Tecnologia e Internet

Doenças Ligadas à Tecnologia e Internet

Vício Em Internet é Doença?

O vício em internet é hoje grave problema de saúde pública que deve ser reconhecido como distúrbio clínico. Jogos excessivos, pornografia on-line, e-mail e mensagens de texto foram identificados como causas de condições compulsivo-impulsivas, conforme aponta o Dr. Jerald Block, autor de um editorial para o American Journal of Psychiatry.

Vício Em Internet é Doença?

Vício Em Internet é Doença?

Block argumenta que a doença é agora tão comum que merece inclusão no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, principal recurso da profissão para categorizar e diagnosticar problemas mentais. Ele diz que o vício em internet tem quatro componentes principais:

  • O uso excessivo associado à perda da noção do tempo ou negligência de impulsos básicos;
  • Sentimentos de raiva, tensão e / ou depressão quando o computador está inacessível;
  • A necessidade de computadores melhores, mais software ou horas de uso;
  • Repercussões negativas, incluindo argumentos, mentiras, má realização, isolamento social e fadiga.

Um estudo de caso principal é a Coreia do Sul, que tem o maior uso de banda larga no mundo. Block diz que dez pessoas morreram de coágulos de sangue por permanecerem sentadas por longos períodos. Outro exemplo apontado pelo especialista está no caso em que uma pessoa foi assassinada por causa de conflitos de jogo online.

Por esse motivo que o país considera o vício em internet como um dos graves problemas de saúde pública. O governo estima que cerca de 210 mil crianças sul-coreanas sejam afetadas e necessitem de tratamento, das quais oitenta por cento podem precisar de drogas que alvejam o cérebro e quase um quarto necessita ir além do hospital.

Uma vez que o aluno da escola média alta gastam 23 horas por semana de jogos, outros milhões de sul-coreanos possuem rotinas consideradas como risco de vício e necessitam de aconselhamento básico.

Houve alarme sobre um número crescente de viciados a abandonar a escola ou parar com os trabalhos para passar mais tempo em computadores. Na China, foi relatado que 13,7 por cento dos utilizadores à Internet adolescentes, cerca de dez milhões, podem ser considerados dependentes.

Block, psiquiatra da Oregon Health & Science University, em Portland, escreve que a extensão da doença é mais difícil de estimar na América porque as pessoas tendem a surfar em casa ao invés de cibercafés. Mas ele acredita que há casos semelhantes, concluindo: “Infelizmente viciados em internet é resistente ao tratamento, acarreta riscos significativos e altos índices de recaída”.

Ele disse ao The Observer que não acredita existir culpa de sites específicos: “A relação é com o computador”. Viciados esgotam as emoções que poderiam experimentar no mundo real através de qualquer número de mecanismos: E-mail, jogos, pornografia, entre outros.

Não se pode ignorar o fato de que o uso do computador ocupa uma quantidade enorme de tempo na vida. Então, se tentar cortar o cabo de uma forma muito abrupta, a pessoa viciada perde o melhor amigo. Isso pode assumir a forma de depressão ou raiva.

Harry Husted, de 51 anos de idade, de Nova York, costumava passar 16 horas por dia na internet. “Eu tinha o costume de trabalhar com computadores por oito horas, em seguida, chegar casa e ficava online durante horas, até ter sono para ir à cama. Depois de um tempo percebi o que estava acontecendo e fiz algo a respeito. Agora, apenas uso o MYSPACE para anunciar meu negócio”.

Clínicas de dependência da Internet surgiram em todo o mundo na tentativa de afastar as pessoas fora da necessidade. O Centro de Recuperação de Dependentes de Internet em Bradford, Pensilvânia, diz que o vício se tornou questão legal crescente na matéria penal, divórcio e emprego dos casos.

Os centros de ajuda oferecem serviço de consulta a advogados que inclui avaliar o papel de anonimato eletrônico no desenvolvimento de atividades desviantes, enganosas e ilegais, feitas nas atividades online.

Robert Freedman, editor do American Journal of Psychiatry, disse que existem diversas expressões do vício. “Na Coréia, parece ser sites de jogos, principalmente. Nos Estados Unidos a culpa é do Facebook e conteúdos pornográficos cujo acesso atual está facilitado ao extremos”.

Você é Viciado Em Internet?

Quem responder “sim” a cinco ou mais destas perguntas pode ter dependência de internet.

  • Você se sente preocupado com a internet? (Pense nas atividades online)
  • Precisa de uma quantidade crescente de tempo na rede a fim de atingir a satisfação?
  • Já fez esforços infrutíferos para controlar, diminuir ou parar o uso da internet?
  • Você se sente inquieto, mal-humorado, deprimido ou irritado quando tenta diminuir ou parar o uso da internet?
  • Fica online mais do que o previsto?
  • Já comprometeu ou colocou em risco a perda de um relacionamento significativo, trabalho, educação ou oportunidade de carreira por causa da internet?
  • Já mentiu para membros da família, um terapeuta ou outras pessoas para esconder a extensão de seu envolvimento com a internet?
  • Você usa internet para escapar de problemas (por exemplo, sentimentos de impotência, ansiedade, depressão, entre outros)?

Artigo Escrito por Renato Duarte Plantier

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Doenças

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário