Água Pode Causar Diabetes?

Pesquisa publicada no Journal of the American Medical Association ligou o arsênio como causador da diabetes tipo2. Traços do veneno natural parecem estar contribuindo para o problema e colocam em risco algumas pessoas sem o seu conhecimento, dizem especialistas.

Enquanto as empresas de serviços públicos nos Estados Unidos são obrigadas por lei a manter os níveis de arsênico na água potável abaixo de 10 partes por bilhão, existem poucas garantias aos 15 por cento dos norte-americanos que matam a sede com água de poços particulares.

De acordo com médicos e epidemiologistas as pessoas que recebem água potável de poços particulares vivem em áreas nas quais a água subterrânea é contaminada com arsênico e têm um risco alto de serem expostas ao H2O com níveis acima dos 10 partes por bilhão que é o índice aceitável no máximo de acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos.

Água Pode Causar Diabetes?

Água Pode Causar Diabetes?

Veneno Antigo: Perigo Presente

O arsênico é metal pesado formado de modo natural como um elemento da crosta da Terra. Ele tem uma longa história como um instrumento de assassinato. A família Borgia, famosa na Itália, incluindo o Papa Alexandre VI, é dita por ter usado a substância insípida, incolor e inodora para despachar de modo irregular os inimigos. Até mesmo um déspota da estatura de Napoleão Bonaparte pode ter sido vítima de uma overdose orquestrada.

Os cientistas têm demonstrado que a exposição crônica à água potável contaminada com arsênio pode provocar cancros da bexiga, pulmão, rim e pele, bem como um conjunto de outras doenças.

Veneno Antigo: Perigo Presente

Veneno Antigo: Perigo Presente

Pesquisadores descobriram que o risco de diabetes para os americanos com as maiores cargas inorgânicas na urina é mais de três vezes superior àqueles que trazem menores índices de arsênico. A nova descoberta traz contrafortes às pesquisas anteriores em animais, demonstrando que o arsênico aumenta a glicose no sangue e os níveis de insulina.

Os resultados são consistentes com estudos realizados em Taiwan, Bangladesh e México, que apontam altos níveis de arsênico para diabetes. O estudo norte-americano analisou exposição ao tipo inorgânico em uma amostra representativa de todo o país.

Estados áridos do Ocidente têm algumas das águas subterrâneas mais contaminadas com arsênico nos Estados Unidos, mas o Meio Oeste e Estados Orientais também são conhecidos por terem certas áreas com água contaminada em níveis além do aceito pela comunidade científica.

O United States Geological Survey mantém mapas em todo o país com níveis de arsênico, um problema comum nos poços profundos e não nas águas superficiais. De acordo com o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, filtros feitos por osmose reversa, destilação, ferro especial e unidades de alumínio podem remover arsênico, ao contrário dos amaciadores de água e filtros de jarros.

Para as famílias dependentes dos poços contaminados com arsênico, H2O engarrafado pode ser uma boa solução em curto prazo (embora seja importante garantir que a água engarrafada seja livre do metal). Soluções de longo prazo envolvem novo poço com as devidas precauções ou conectar o mesmo no abastecimento público de água.

Por Que a Sede Está Ligada Ao Diabetes?

De acordo com um artigo da CNN.com de 1995 relacionado com o diabetes, o excesso de açúcar no sangue, ou glicose, tira a água dos tecidos humanos e faz o corpo se sentir desidratado.

Para saciar a sede se faz necessário beber muita água e outras bebidas que leva a micção frequente. Se observar aumentos inexplicáveis na sua sede e urina, consulte o seu médico. Quem tem diabetes sabe que são necessárias algumas alterações na dieta e maior consumo de água.

A água é importante para todos, mas em especial aos pacientes internados por causa de diabetes, pois mesmo uma pequena diminuição do nível de hidratação pode causar sérios problemas de saúde.

Um dos melhores sinais de níveis de glicose é a sede. Água representa maneira de saciar essa sede e quebrar os açúcares. Além disso, a fim de manter o corpo a funcionar o consumo dela deve ser uma constante. No entanto a mesma pode ser perdida através do exercício e exposição normal aos ambientes com temperaturas elevadas. Por esse motivo que manter o corpo hidratado ajuda a evitar a fadiga e a manter o desempenho físico.

Um estudo apresentado na reunião anual da Associação Americana de Diabetes incluiu 3.615 homens e mulheres com níveis normais de açúcar no sangue. Aqueles que relataram beber mais de 3,6 litros de água por dia eram 21% menos propensos a desenvolver hiperglicemia durante os próximos nove anos do que organismos com média de consumo equivalente a dois litros ou menos por dia.

A análise levou em conta outros fatores que podem afetar o risco de açúcar elevado no sangue, tais como atividade física, idade e peso. Segundo este estudo as pessoas que bebem mais água podem compartilhar algum fator imensurável que diminui o risco no sangue.

Porque a água pura não tem calorias, sódio, gordura ou colesterol é o melhor suplemento para alguém com diabetes. Além disso, também não traz a cafeína, que é um desidratador.

Alta de glicose faz com que o corpo perca fluído e a pele fique ressecada. Beber muita água irá ajudar a manter a mesma saudável e hidratada. Além disso, se a glicose não é aceita pelo organismo vai ser liberada através da urina.

Quando em casa, beber água da torneira segura é bom, mas em movimento, um diabético deve sempre levar uma garrafa reutilizável. Ela tem suas vantagens, pois é portátil.

Porém se a água engarrafada é uma daquelas aromatizadas com um adoçante artificial se torna bebida prejudicial, de acordo com a American Diabetes Association. A ADA não aprova aromas com a essência de frutas como alternativas para hidratar o corpo.

O excesso de bebidas da dieta pode causar mais sede e também se tornar viciante, deixando o paciente não querer consumir o H2O tradicional! Quando se trata de suco, um copo de tamanho regular acontece a partir de várias peças de fruta – e os gramas de carboidratos podem aumentar com rapidez. Portanto, a água pura deve ser bebida com mais frequência, sendo dispensável a engarrafada com adoçantes artificiais.

Artigo Escrito por Renato Duarte Plantier

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Doenças

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário