História do Pagode: Um Ritmo Brasileiro

Representa estilo de gênero musical típico do Brasil e que representa uma forma que evolui do samba. Não se pode ignorar o fato de que está inerente ao próprio folclore de origem nacional. Quando se fala em pagode logo se lembra de terras nacionais, de forma principal do Rio de Janeiro, cartão postal do país no qual surgiu o estilo de música que nos dias atuais está entre os que mais fazem sucesso entre brasileiros que moram dentro e forma do país. De forma prática, um autêntico churrasco brasileiro não pode ser autêntico sem a presença do pagode, bem ou mal tocado, não importa visto que o importante está na alegria que envolve aos a quem celebra a festa.

De acordo com Câmara-Cascudo, um dos mais respeitados estudiosos de folclore do Brasil, o termo pagode de forma inicial consiste em festa na qual existe cerveja, cachaça, caipirinha e comidas típicas do território nacional que acontece em reunião íntima, seja entre amigos ou familiares.

Grupos Famosos: História do Pagode

Nos dias de hoje existem centenas de grupos de pagode que fazem sucesso dentro e forma de terras nacionais. No entanto, não se pode ignorar o fato dos pioneiros da arte de pagodear em forma musical, como no caso do conjunto Fundo de Quintal que estourou em sucesso de vendas dos álbuns durante a década de oitenta e noventa do século XX com a liderança de Arlindo Cruz e Sombrinha.

Entre os principais ícones do pagode não se pode ignorar a presença dos trabalhos compostos por Zeca Pagodinho que vivenciou de forma direta os dois lados do gênero musical original de forma autêntica, como o pagode clássico de partido alto e o pagode romântico. No final dos anos noventa do século XX surgiu também o pagode do tipo universitário. O grupo Raça Negra consistem em referência do gênero musical.

Pagode Partido Alto e Pagode Universitário

Há uma grande diferença fundamental ao comparar o pagode de partido alto e o pagode universitário. No que tange ao primeiro exemplo existe a origem do estilo musical, com letras que retratam as realidades do morro e as formas românticas de amar sob a ótica suburbana. Também traz maior trabalho em termos de melodia e qualidade dos acordes e batidas.

No segundo exemplo de pagode existe uma tendência moderna que traz letras que se relacionam com ostentação e formas de encarar a vida de acordo com o olhar do universitário que tem a malandragem positiva na alma, como as músicas promovidas por Inimigos da HP. Para muitos críticos o nome do conjunto defende que o nome deveria ser Inimigo da História do Pagode. Porém, defensores indicam que a presença do pagode universitário serve para aumentar o valor em termos culturais e representa a própria evolução do pagode. Qual a sua opinião sobre o tema Pagode de Partido Alto X Pagode Universitário? Deixe o seu comentário e colabore com a democracia do pensamento e da informação.

Começo do Pagode: Rio de Janeiro ou Salvador

Grande parte dos especialistas nesse tipo de gênero musical que tem o selo nacional os primeiros grupos de pagodes surgiram no Rio de Janeiro, nos primeiros anos da década de oitenta do século XX, quando o Brasil estava aumentando a industrialização, embora a desigualdade social aumentasse na década conhecida como perdida sob a ótica econômica.

Com a pobreza aumentando o pagode serviu como espécie de música para aumentar a felicidade das comunidades que moravam no morro. Com o sucesso e identificação do povo nacional não demorou ao gênero musical descer da favela para dominar o território nacional.

Não se pode ignorar o fato de que a história não tem o registro exato de como surgiu o pagode, ou mesmo o local, apenas se sabe que foi dentro do Brasil. Enquanto grande parte dos especialistas indica que o gênero musical surgiu nos morros cariocas, existe outra corrente que apontam evidências de que o estilo de música que se originou do samba na verdade começou os primeiros passos na capital da Bahia, Salvador, e apenas depois foi ao Rio de Janeiro, local no qual aconteceu o boom do pagode.

Sob a ótica de que o pagode possa ter começado em Salvador, de forma principal nos quintais dos subúrbios da capital baiana. A elite da Bahia começou a usar os termos pagode de forma preconceituosa para designar o tipo de evento feito por populações pobres e com afro-descendência. De qualquer maneira, com o tempo a palavra melhorou o julgamento de valor e realidade, ainda que nos dias atuais povos que não apreciam o gênero musical continuam a usar o termo sob a ótica negativa e preconceituosa.

De forma prática a palavra pagode se designava na época colonial entre os colonizadores para designar aos eventos festivos que aconteciam nas senzalas entre os escravos que eram trazidos da África. Nos dias de hoje pode ser usados para designar a qualquer festa popular que tenha samba e alegria. Ou seja, nos dias atuais, mesmo com o preconceito inerente à sociedade, de forma geral se refere a designar algo que se relaciona com os momentos alegres.

De qualquer maneira, evidências históricas evidenciam que o nome pagode foi originado muito antes do que o estilo musical que aderiu ao nome. Por exemplo, na composição de Tião Carreiro ao final da década de cinquenta do século XX com o nome de “Pagode Brasília” não tem nenhuma referência com samba na música. Existem inúmeras composições de forró pé-de-serra que trazem o termo de composições composta antes dos anos oitenta do século XX, quando surgiu o gênero musical que evolui do samba.

Pagode em termos musicais se relaciona de forma direta em consequência não apenas dos temas musicais como também dos instrumentos que são usados para fazer as composições. Nos dias de hoje o pagode representa preferência nacional entre negros e brancos, sem nenhum tipo de discriminação entre a classe dos amantes desse tipo de gênero musical com o selo nacional.

E você, gosta de pagode? Tem alguma informação histórica sobre o gênero musical? Deixe o seu comentário.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Música

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário