Alimentos que Compõem a Cesta Básica

Na cesta básica devem existir todos os tipos de alimentos necessários para que o brasileiro consiga se alimentar por certo tipo de tempo. Existem empresas que oferecem maior número de produtos do que o obrigado por lei, fazendo assim com que a alimentação renda melhor para toda a família; De acordo com o DIESEE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), a cesta básica no Brasil possui três alimentos:

Cesta Básica

Cesta Básica

  • Manteiga
  • Óleo
  • Açúcar
  • Banana
  • Café
  • Pão
  • Tomate
  • Batata
  • Farinha
  • Arroz
  • Feijão
  • Leite
  • Carne

Variações de Acordo Com a Tradição da Região!

Em terras brasileiras a variedade dos produtos da cesta básica se modifica de acordo com as tradições alimentares das regiões do país. Porém, não fique esperando todos os itens nos kits distribuídos entre os funcionários. Os cardápios das cestas podem ser modificados em níveis consideráveis, segundo diz José Maurício Soares, economista do DIEESE.

Na parte sul e centro/oeste são calculados 6,6 kg de carnes, ao passo que no norte e nordeste do país são 4,5 kg. A distribuição acontece de maneira distinta porque as temperaturas na parte sul do país possuem maior nível frio, oferecendo assim maior nível de nutrientes para enfrentar as condições climáticas.

Por outro lado, o nordeste conta com o valor de três quilos de farinha ao passo que a região sudeste metade, ou seja, um quilo e meio. Os nortistas utilizam mais farinha para fazer pratos tradicionais. Vale ressaltar que o excesso pode gerar inclusive excesso de triglicérides no sangue;

O sudeste contabiliza seis quilos de batatas, ao passo que a cesta básica no nordeste não possui este item incluído. Porém, os nordestinos contabilizam com cerca de doze quilos, ao passo que nas outras região são considerados de nove quilos para baixo.

Imagem de Amostra do You Tube

Para Que Serve a Cesta Básica?

Representa conceito considerado abstrato que possui o objetivo de medir como está o papel de compra do salário mínimo, o sentido de que todas as necessidades alimentares básicas da pessoa sejam fornecidas no período de um mês. Interessante notar que não existem farturas, ou mesmo alguns nutrientes considerados necessários para a sobrevivência que são encontrados nos legumes, verduras e frutas.

Produtos de Origem Animal

Dentro da cesta básica devem ser contabilizados pelo menos seis quilos de carne e oito litros de leite. Ambos são ricos em proteínas, nutriente que auxilia na formação dos músculos, sangue, ossos e cérebro. Sem contar que as proteínas representam pontos essenciais no sentido de construir novas células.

Com relação aos grãos devem existir três quilos de arroz, cinco quilos de feijão e dois quilos de farinha de trigo. Neste sentido, a mistura popular do Brasil possui a função de fornecer os carboidratos e combustíveis que mantem o corpo de pé.

Dicas

Dicas

Os produtos industrializados também devem ser inseridos na cesta básica nas seguintes medidas:

  • Seis quilos de pão
  • Três quilos de açúcar
  • Oitocentos gramas de manteiga
  • Novecentos ML de Óleo

 Função dos Produtos das Cestas Básicas

Interessante notar que os produtos industrializados possuem a função não somente de fornecer gordura para o corpo humano, como também transportam vitaminas A, D, E, K no sentindo de proteger os órgão vitais do organismo, principalmente com relação à perda elevada do calor.

Entre os legumes e frutas são necessários pelo menos: Seis quilos de batata, sete dúzias de banana e nove quilos de tomate. Este alimentos são importantes no sentido de suprir as necessidades do organismo. Em termos gerais, o organismo também agradece a presença das fibras alimentares, responsáveis por melhorar o sistema digestivo, mesmo não possuindo elevado poder energético e valor nutritivo. São responsáveis por facilitar a absorção da comida.

Imposto da Cesta Básica no Brasil

Com a lei de que a nota fiscal deve trazer os impostos em detalhes os consumidores podem perceber quanto pagaram de maneira adicional nos produtos. Os preços elevados estão não somente nas compras dos carros e eletrodomésticos como também das compras dos produtos que estão inseridos na cesta básica brasileira. Brasil é produtor de todos os alimentos da cesta básica, mas nunca conseguiu manter os preços do alimentos em níveis proporcionais com o salários mínimo.

Países que sofrem em níveis consideráveis por causa dos efeitos da crise mundial e são conhecido por serem importadores de alimentos obtiveram aumento de 08% nos preços dos alimentos da cesta básica. Brasil, nação conhecida como exportadora de alimentos, conta com variação no preço da cesta básica equivalente a 20%.

Não se pode ignorar o fato de que arroz e feijão, alimento predileto da população, contam com menor tributação, que mesmo assim é alta, equivalente a 17%. No entanto, a alíquota do açúcar assusta as pessoas que gostam de doce, cujo aumento ultrapassa a casa dos 30%.

Imagem de Amostra do You Tube

Interessante notar que na média geral do aumento de impostos levam em consideração os produtos da cesta básica considerados in natura. De acordo com palavras do presidente Gilberto Amaral, presidente do IBPT (Brasileiro de Planejamento Tributário), o imposto da alimentação básica pode chegar em 30%.

Em termos gerais é segura afirmar que o preço dos alimentos prontos possuem preços mais altos do que os encontrados em outros países. Quase todos os especialistas entram em convergência que pagar mais do que 15% em produtos considerados básicos para a existência representa carga pesada, principalmente entre as camadas pobres da sociedade que possui maior dependência desta alimentação. Sem contar que as classes com renda baixa possuem salários tributados, prejudicando assim a saúde financeira do trabalhador.

A carga tributária média dos alimentos básicos no Brasil esta na faixa dos 35%. O número parece mais alta ao se pensar que quando se gasta cem reais no supermercado, cerca de trinta e cinco reais são cobrados em consequência do imposto.

Com a lei das especificações dos impostos na nota fiscal o sistema de tributos possui maiores chances de serem claros e objetivos, entendidos por qualquer cidadão alfabetizado. Colocar os impostos na nota também ajuda para que os consumidores compreendam de maneira clara qual valor está sendo cobrado de forma adicional ao verdadeiro valor de mercado do produto. Desta forma o governo pode aumentar o sentido de democracia, afirma a ACSP.

Artigo escrito por Renato Duarte Plantier

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>