Como Funciona O Luminol?

O luminol é uma substância que é usada pela polícia para “encontrar” vestígios de sangue, que não estão visíveis sem a ajuda desse produto. Na verdade é através de uma reação química que eles conseguem ter esse resultado.

O luminol também é chamado de quimiluminescência. Uma nomenclatura que fica mais próximo de explicar de que se trata, uma reação química, que na prática, em forma de luz libera energia.

O Que é o Luminol?

O luminol se apresenta na forma de pó e é formado pelos seguintes componentes: nitrogênio que é diluído em água oxigenada, átomos de carbono, oxigênio e hidrogênio.

Se trata de uma solução, feita com essas substâncias, que quando se borrifa um pouco, num lugar que se julgue que tinha sangue e foi limpo, ela reage e mostra as marcas.

As substâncias juntas quando entram em contato com o ferro, que está presente no nosso sangue, imediatamente liberam uma luz azulada. Podemos ver o resultado, essa luz, quando estamos no escuro.

O que acontece na verdade é uma excitação de um elemento químico. No caso do luminol que reage em tom azul é o contato: ferro e oxigênio.

Detalhes Sobre a Reação Química Provocada Pelo Luminol

O luminol é usado e faz toda diferença para revelar pistas em uma cena de crime que foram ocultas. É um grande engano achar que basta limpar o sangue, que não se possa a ver a olha nu e que ele não estará mais ali, pois, na verdade, as partículas continuam no mesmo lugar e o luminol pode revelá-las.

Quem trabalha com o luminol é o perito, que chega na casa ou no lugar que se tem a suspeita e quando olha, por exemplo, no carpete, a olho nu não existe nenhuma marca de sangue. Mas, o que o criminoso ignora é que mesmo depois de uma minuciosa faxina, moléculas de sangue ficam escondidas nas fibras do tapete e são facilmente reveladas pelo luminol.

Porém, o que poucas pessoas sabem, é que o luminol quando usado em excesso, ao invés de ajudar, pode atrapalhar, pois pode acabar destruindo as evidências do crime. Por isso, ele é usado somente em pontos do local considerados suspeitos pelo perito, depois de ter feito uma varredura a olho nu.

Como Age o Luminol?

O perito usa algumas gotas de luminol no lugar que considera suspeito e se existiu sangue, ela entrará em contato com o ferro, hidrogênio, átomos de nitrogênio e isso será identificado. A solução ainda consegue identificar os átomos de oxigênio do sangue. Como foi dito anteriormente, se trata de uma reação química. Pois, os elétrons dos átomos de oxigênio, rapidamente sem do nitrogênio e do hidrogênio. Toda a energia provocada por eles é dissipada e sai em forma de partículas que são luminosas, assim, você pode observar a luz azulada e achar onde tinha sangue.

Luminol e Investigações Criminais

Vamos dar um exemplo de como o luminol faz uma grande diferença na hora de solucionar um crime. Provavelmente, você se lembra da morte da menina Isabella Nardoni de 5 anos. O caso comoveu todo o país. A criança, segundo a versão do pai e da madrasta, teria caído sozinha ou teria sido empurrada do apartamento em que viviam, por alguém que o invadiu.

Mas, durante as investigações e com suspeitas que começaram a recair sobre o pai e a madrasta da criança, os peritos descobriram marcas de sangue dentro do carro da família, o que fez cair por terra a defesa de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá.

Esse é um exemplo de como o luminol pode ajudar a solucionar um crime ou a fazer cair a teoria da defesa do acusado. O fato de ter sangue dentro do carro do pai de Isabella comprovava que ele mentiu e a menina já entrou no apartamento machucada.

Os peritos revelam que o luminol é um dos recursos mais usados pela polícia para solucionar casos de assassinatos. Ressaltando, que o resultado da solução em contato com o ferro só pode ser visto no escuro.

A eficiência do luminol é tão grande que mesmo em lugares que os vestígios de sangue foram “apagados” com produtos fortes de limpeza, ele ainda consegue detectar. Ainda segundo os especialistas, alguém conseguir efitivamente limpar o sangue de um jeito que não seja possível “encontrá-lo” com luminol é praticamente impossível. Mesmo que essa limpeza tenha sido feita por consecutivas vezes. Sempre terá um sinal que o sangue esteve ali, para o luminol.

O Efeito do Luminol

O efeito, o resultado com o luminol também é muito rápido. É o tempo de borrifar a solução e no escuro, bastam 5 segundos e se vê a luz azul, caso tenha sangue naquele determinado lugar. Em muitos casos de assassinatos, são as manchas de sangue que podem “contar” a dinâmica do que aconteceu.

No trabalho do perito, quando o luminol revela que naquele lugar tinha sangue, encontra traços, quem está investigando filma e fotográfa onde foi encontrado. Mas, o trabalho não se resume a só isso, todo o espaço, se for uma casa, por exemplo, é fotografado. Além disso, quando é possível, os peritos recolhem amostras de sangue encontradas no lugar, que servem para fazer testes.

Porém, o uso do luminol deve ser feito respeitando algumas regras. Na verdade, existem algumas restrições do seu uso, como por exemplo, se o lugar que possa ter sangue for feito com substâncias metálicas. Neste caso, pela existência do ferro no lugar, o resultado ficará comprometido, uma vez que se busca justamente a reação com essa substância. Os investigadores dizem que neste caso, caso o perito use o luminol poderá ter um resultado “positivo falso”, já que a reação positiva pode ser do ferro.

Porém, é necessário lembrar que o luminol quando é usado em grande quantidade ele pode acabar destruindo as provas da cena do crime. Outro ponto que os investigadores gostam de ressaltar é que para chegar a conclusão com a ajuda do luminol, os peritos precisam de outras evidências.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Ciência

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário